domingo, 25 de setembro de 2016

A madeira do corpo tem influência no som da guitarra ?! (Final)

Olá !

Nessa semana em que nosso Blog completa 4 anos de existência, finalmente apresento a conclusão do artigo sobre a influência das madeiras no timbre.Na primeira parte do artigo (leia aqui), vimos que alguns colocam em dúvida a influência da madeira utilizada na construção do corpo de uma guitarra sólida no timbre final do instrumento. Já na segunda parte, (leia aqui), pedimos até ajuda dos alienígenas para discutir alguns fatores que podem evidenciar a influência da madeira do corpo no timbre do instrumento...

Concluindo o assunto, vou apresentar algumas observações e opiniões pessoais para ajudar aqueles que acreditam nessa influência na hora de adquirir uma guitarra.

Guitarras antigas = Madeiras secas !

Tendo tocado em muitas guitarras, observei que só algumas pouquíssimas realmente têm aquele timbre diferenciado que procuramos. Analisando esses instrumentos, não tenho dúvidas de que as madeiras fazem a total diferença no som final. Toquei em duas stratocasters que realmente me impressionaram bastante, coincidência ou não, as duas eram Fenders americanas fabricadas nos anos 70, uma delas tinha um belo corpo em ash com acabamento natural (idêntica a que o Blackmore tocou no California Jam) e a outra teve o seu corpo grotescamente recortado, quem seria o louco que fez um mutilação dessas. No entanto, o som era incrível.

Além da idade, essas stratocasters tinham outra características em comum: eram bem leves. Já falei aqui no Blog que uma stratocaster equilibrada pesa entre 3,9kg e 3,6kg (o que não quer dizer que as que estão fora dessa faixa sejam necessariamente ruins). Pois bem, as duas guitarras em questão deveriam estar no início da faixa, sendo que a segunda era ainda mais leve pela mutilação do corpo.

Muito bem, qual seria a suposição para a qualidade do som das guitarras ? Primeiramente, madeiras secas. Em segundo lugar, não podemos ignorar também que os captadores originais de alnico se desmagnetizam ao longo do tempo, alterando o seu timbre e soando mais vintages... Estamos falando de guitarras com 30, 40 anos de idade...

Os fabricantes de guitarras de qualidade costumam (ou costumavam...) usar madeiras envelhecidas para montar seus instrumentos, quando não faziam isso, secavam as madeiras em estufa pelo tempo que fosse necessário.

Olhem, é claro que as guitarras baratas fabricadas na ásia não observam esse quesito, os caras pegam a madeira disponível, montam a guitarra e ponto final. Já via até mofo dentro de guitarras assim... Ora, a umidade da madeira vai influir no som do instrumento. E é por isso que eu acredito que o som da guitarra pode melhorar com os anos, na medida em que as madeiras vão perdendo a umidade para o meio ambiente, isso já aconteceu com instrumentos meus.

Densidade da Madeira

Uma outra questão muito interessante é a densidade da madeira do corpo. Pessoalmente, acredito que a densidade da madeira é mais importante do que o tipo da madeira em si. Percebi isso analisando duas coisas: 1) fazendo upgrades em stratocasters de baixo custo com o corpo em basswood, percebi que aquelas que tinham um peso mais próximo das stratocasters feitas com madeiras tradicionais (alder e ash) tinha um resultado muito bom, soavam como stratocasters clássicas, já as que eram muito pesadas ou muito leves não tiveram um bom resultado. 2) as stratocasters feitas com madeiras brasileiras (freijó, cedro, mogno) não soam muito como stratocasters clássicas, possuem o som mais grave, por vezes "abafado", isso não quer dizer que sejam ruins, são só diferentes mas costumam decepcionar alguns compradores, no entanto, as que possuem o corpo feito em marupá já soam mais próximas ao alder, não coincidentemente, o marupá é madeira que tem o peso mais próximo ao do alder...

Algumas Conclusões Práticas

Então vamos usar o que foi aprendido na hora de comprar um instrumento. Vamos supor que preciso comprar uma stratocaster e meu dinheiro só dá para pegar uma chinesinha com o corpo em basswood...

Sabemos que a densidade da madeira é muito importante, então o primeiro cuidado é comprar uma que tenha o corpo com a espessura padrão das Fenders, ou seja, 4,5 cm. Mais uma vez, isso não quer dizer que uma guitarra um pouco mais fina seja necessariamente ruim, mas já que vamos comprar uma, vamos pegar logo uma com a espessura correta !

Depois, vamos escolher uma que tenha um peso dentro da faixa que eu citei acima (3,6/3,9 kg). Bem, vc não vai levar uma balança para loja, mas procure ter uma noção pegando, digamos, uma sacola com 3,5kg de alguma coisa !

Por fim, pense na possibilidade de pegar uma guitarra usada, fabricada nos anos 90 ou anos 2000, o Mercado Livre está cheio delas e são mais baratas ainda mas só faça isso se contar com alguém experiente (seu professor ?) para te ajudar a escolher pois comprar guitarra usada sempre traz riscos....

A pergunta que não quer calar !

E  por fim, vamos responder a pergunta que  nos propusemos no início da serie: "uma strat com o corpo de basswood pode soar como uma boa strat de alder ou ash ?"

Na minha opinião pode SIM, por que não poderia, observadas as conclusões acima ? É claro que terá que ter bons captadores, ferragens, etc.

E que não acredita pode conferir nas centenas de vídeos no youtube que mostram stratocasters feitas em basswood com um timbre maravilhoso de strat, como esse abaixo.

É isso abraços a todos !

Mad


3 comentários:

  1. olha, sou um guitarrista mediano, já me preocupei com esse negócio de madeira...., pode haver diferenças? sim. mas não são tão relevantes. não há um melhor ou pior. é tipo a velha história de single, humbucker e p90. os três podem ser muito bons de maneiras diferentes.
    os guitarristas deveriam se preocupar muito mais com uma boa execução de suas musicas e depois com os instrumentos.

    ResponderExcluir