quarta-feira, 6 de abril de 2016

A madeira do corpo tem influência no som da guitarra ?! (II)

Olá !

Na primeira parte do artigo (leia aqui), vimos que alguns colocam em dúvida a influência da madeira utilizada na construção do corpo de uma guitarra sólida no timbre final do instrumento. Vimos também que a influência das madeiras utilizadas no braço e na escala é mais reconhecida, bem como a influência dos corpos das guitarras semi-sólidas e semi-acústicas, já que as diferenças são mais perceptíveis.

Ficamos então com a pergunta que não quer calar, afinal, a madeira de um corpo sólido influi ?

A resposta, como diria um colaborador do blog, o Giorgio, é um retumbante SIM !!!



Bem... Na verdade não tão retumbante assim... Influi, mas bem menos do que alguns imaginam...

Mas antes de discutir o quanto influi, vamos analisar dois argumentos que, na minha opinião pessoal,  são suficientes para demonstrar que a madeira do corpo influi sim no timbre final do instrumento.

O primeiro argumento é que o mecanismo que faz a madeira do corpo influir no som dos instrumentos acústicos e semi-acústicos também influi nos corpos sólidos, porém em menor grau. Pegue uma guitarra e toque desplugada, você vai sentir a ressonância do corpo projetando o som, filtrando os harmônicos, gerando um timbre... Isso é evidente, existem guitarras sólidas que soam tão bem desplugadas que dá para tocar numa boa sem amplificador, eu mesmo tenho uma dessas, uma vez um pessoal pegou ela em uma festa para tocar e cantar, mesmo sem amplificador !

Alguns podem argumentar que o som que vem dos captadores nada tem a ver com o som que você ouve quando toca a guitarra desplugada mas como vimos no artigo anterior, o som da guitarra vem do movimento relativo entre as cordas e os captadores, por causa das pertubações no campo eletromagnético gerado por esse último, porém, quando o corpo vibra ele também se move em relação às cordas, gerando variações no campo eletromagnético. Aos que duvidarem desse efeito, sugiro o seguinte experimento: peguem uma stratocaster e "calcem" os captadores, colocando um pequeno calço de madeira (podem ser feitos com pedaços de palito de picolé colados) entre o captador e o corpo da guitarra. Com isso, os captadores que originalmente ficam presos no escudo através de molas passam a fazer contato direto com madeira do corpo, realçando a influência dessa no timbre final. Esse é um truque para melhorar o som de guitarras baratas sem gastar dinheiro !

O segundo argumento se resume em uma palavra: feedback ! O que é isso ? Quando você toca em uma guitarra elétrica e o som sai pelo amplificador, as ondas sonoras do alto falante se chocam no corpo e também provocam uma vibração nele, e consequentemente, uma perturbação no som. Vejam bem, bastaria esse argumento para comprovar o anterior ! Esse choque gera um som que também vai sair pelo amplificador e gerar uma nova onda sonora, dependendo do ganho do sistema, ouvimos a chamada "microfonia" (feedback). Dependendo da densidade e outras propriedades da madeira usada, o efeito será diferente... Por isso os violões eletrificados e as semi-acústicas dão muito mais microfonia do que as sólidas mas estas últimas também dão, inclusive, guitarristas como Jimi Hendrix e Jeff Beck usam esse efeito em seus solos, vejam !


Complementando o que foi dito anteriormente, é por isso que determinados "testes" dão como resultado que a madeira do corpo não influi, para que a influência de um corpo sólido fique perceptível tem que se tocar ALTO ! Alto e limpo, hehe... Sem chance de alguém que toca com um timbre carregado de drive, captadores ativos, etc. perceber diferenças da madeira do corpo...

Muito bem,  explicado como a madeira do corpo influi, resta ainda tentar quantificar essa influência... É muito ?... É pouco... Complicado isso...

Pedindo novamente a ajuda do Giorgio, ele me passou uma lista das coisas que influem no timbre final de uma guitarra elétrica, do maior para o menor, como sabemos, ele recebe informações diretamente dos aliens então não há porque duvidar da lista ! Vamos lá ?

O 12 fatores que mais influem em um timbre de guitarra, por ordem de influência:

1 - Guitarrista
2 - Amplificador
3 - Captadores
4 - Projeto e Construção (fixação do braço, angulação do headstock, etc.)
5 - Regulagem da guitarra
6 - Madeiras do braço e da escala
7- Trastes (calibre, material, qualidade)
8 - Cordas (calibre, qualidade)
9 - Madeira do corpo
10 - Qualidade do Cabo (elemento muito subestimado mais importantíssimo)
11- Demais partes elétricas (fiação, switchs, capacitores, pots)
12 - Ponte, Saddles e Bloco

Não era bem o que você esperava, não ?... 

Mas é isso... Agora, quanto cada um desses elementos influi, aí vai depender do instrumento analisado... Acho que nem os aliens do Giorgio sabem isso ! Mas... Em um chute, eu diria que os 4 primeiros são uns 65% do som do instrumento...

Ok ?! Na próximo post seguiremos no tema, porém falando de coisas mais práticas como "uma guitarra de basswood pode soar como uma de alder", "madeiras brasileiras x madeiras importadas", etc. Por ora, deixo uma citação para vocês:

"Não se prova o óbvio ululante !"
Nelson Rodrigues

Abç a todos !

Mad

13 comentários:

  1. Post bastante pertinente. Recentemente teve uma polêmica porque a Fender fez uma Guitarra de papelão. Isso gerou uma pequena polêmica nos grupos de discussão. https://www.youtube.com/watch?v=7Oo2H-W7d6A

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem também guitarras feitas de concreto, de metal, etc

      Excluir
  2. Parabéns pelo excelente post. Você poderia incluir a palheta como o 13º item da relação de fatores que influenciam no timbre.

    ResponderExcluir
  3. Salve Mad, parabéns pela excelente continuação.
    Concordo. Não há dúvida que a madeira ou, melhor dizendo, o material com o qual é construído o corpo do instrumento, influencia no som da guitarra elétrica sólida, de ambas as formas mencionadas no post.
    As dúvidas que, no entanto, persistem é:
    1. Quanto influencia?
    2. Como influencia?
    3. É possível qualificar timbres de corpo de “melhor” ou “pior”? Ou isso é totalmente subjetivo?
    Deixo o questionamento porque nos fóruns por aí afora a gente cansa de ver um monte de gente se matando e se xingando para “provar” (como se isso fosse possível rs) com supostos argumentos que o material X ou Y é melhor (ou pior) que o Z ou W.
    Sendo que eu já vi guitarras de acrílico (acho feio o visual, jamais compraria uma) ou mdf (meu irmão teve uma Giannini de mdf dos anos 80) com um som muito bom, e guitarras – supostamente - do mais puro e único pedaço de mogno que possuem sons secos de “Tonantes” (aliás, conheço até gente que ama o som das Tonantes antigas - e não troca por nada! rs).
    Só um exemplo: outro dia testei uma Epiphone LP Custom Zakk Wilde Signature, com captação EMG, a qual supostamente seria uma guitarra boa (em tese melhor que a minha Epi LP Standard Pro), e simplesmente odiei o som! Sequer tem som de Les Paul!
    Na minha modesta opinião, no entanto, a ordem de influência seria a seguinte:
    1 - Guitarrista
    2 - Amplificador
    8 - Cordas (calibre, qualidade e material/construção) – uma corda boa e nova de um calibre pesado simplesmente transforma o som de uma guitarra
    5 - Regulagem da guitarra – uma boa regulagem também muda tudo no som de uma guitarra
    3 – Captadores
    4 - Projeto e Construção (fixação do braço, angulação do headstock, etc.)
    6 - Madeiras do braço e da escala
    7- Trastes (calibre, material, qualidade)
    12 - Ponte, Saddles e Bloco
    9 - Madeira do corpo
    10 - Qualidade do Cabo (elemento muito subestimado mais importantíssimo)
    11- Demais partes elétricas (fiação, switchs, capacitores, pots)
    Mas de fato, tudo é uma somatória.
    Por fim, como sugestão para o próximo post fica o vídeo abaixo, do teste de timbre e sustain de nove telecasters (hand made), com exatamente a mesma configuração, cada uma com uma madeira diferente:
    https://www.youtube.com/watch?v=seFBVpGmXKk
    PS: o timbre que mais gostei foi o Swamp Ash

    ResponderExcluir
  4. Bom tonante com som bom eu NUNCA vi, hehe, guitarra de acrílico é coisa de poser e são absurdamente pesadas, na continuação do artigo vou dar dicas de como encontrar um corpo de madeira com boa entonação, abç.

    ResponderExcluir
  5. Boa noite Mad.
    Ótimo post. Bacana esta ideia de usar um calço de madeira entre os captadores e o corpo do instrumento. Acha que valeria a pena fazer isso em uma Tagima Tg 530. Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, melhora a entonação sim, no entanto, apesar da ideia ser simples é um pouco trabalhoso, sugiro só tentar se vc tiver prática em desmontar guitarras, upgrades, etc, senão é melhor pedir a um Luthier, abc.

      Excluir
  6. Tem uma coisa que esqueci de mencionar. Alguns violões estão vindo com braços feitos de compensado. Vi isso em um Memphis semanas atrás.

    Isso atrapalha muito?

    Sim, um youtuber chamado Gilney Parson denunciou em um vídeo, que a Shelter fez uma guitarra com tampo de MDF. https://www.youtube.com/watch?v=4HYtAe8WoaY

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse tampo parece de papelão e não de MDF ! O braço de compensado eu nunca vi, acho que não vai funcionar muito bem não...

      Excluir
  7. Tenho uma dúvida sobre escala de acrílico....Que influencia ela dá no som?Quais a característica marcante no som de uma escala de acrílico?Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. nunca vi escala de acrílico, já vi guitarra de acrílico, que por sinal costumam ter a escala de madeira, caso exista penso que o som não deve ser muito legal não, talvez soe bem para coisas de alto ganho

      Excluir