domingo, 3 de novembro de 2013

Tocar com cordas grossas... Será que vale a pena ?!

Olá, turminha das seis cordas!!!

Se houve uma coisa que me motivou a criar esse blog foi a oportunidade de evitar que os iniciantes sejam prejudicados pelas bobagens que circulam pelos fóruns, blogs, comunidades, facebook  etc. Claro que existem ótimas informações nesses canais, mas, infelizmente, nosso instrumento é vítima de  uma série de conceitos errôneos, lendas urbanas e outras bobagens que acabam se transformando em verdade, tal é a quantidade de guitarristas (?) que assinam embaixo dessas asneiras.

Pois bem, é muito comum um iniciante receber o conselho para que leve sua guitarra em um Luthier para colocar um jogo de cordas "pesado", calibre 0.011, 0.012 ou mais, para que sua guitarra "melhore o timbre" ou para conseguir o "som" do Stevie Ray Vaughan...  Em parte, esse conselho deriva de uma uma atitude um tanto ridícula de querer mostrar que guitarra "é coisa de macho", que guitarrista bom é um "ogro" do tipo Zakk Wylde, que Stevie Ray Vaughan tocava com encordoamento .014, e tal e tal. Mas, por outro lado, as cordas mais grossas trazem mesmo uma melhora no timbre, pela sua maior massa.

A questão aqui é analisar os pontos negativos e positivos das cordas grossas para chegar a uma conclusão se vale a pena tal mudança.

Mas vamos primeiro entender a numeração das cordas de guitarra. Cada corda de guitarra tem uma espessura diferente, por isso mesmo é possível atingir diferentes afinações em cada uma. O mercado de instrumentos costuma apresentar essas medidas em polegadas ("inches") e referenciar um  determinado conjunto de seis cordas pelo calibre em polegadas da corda mais fina (a chamada "mizinha" !). Assim, quando compramos um jogos de cordas .009, essa é  medida da corda mais fina, as outras cordas do jogo, evidentemente, são mais grossas. Existe um certo padrão para as medidas das cordas dentro do jogo, com pequenas variações de fabricante para fabricante. Em geral, as medidas seguem a tabela abaixo (válida para guitarra elétrica, cordas para violão estão dentro de outro padrão), sendo que as medidas estão da corda mais fina para a mais grossa:


set "extra super light" (levíssimas): .008 .010 .015 .021 .030 .038
set "super light" (super leves): .009 .011 .016 .024 .032 .042
set  "light" (leves): .010 .013 .017 .026 .036 .046 
set "medium" (médias): .011 .015 .018 .026 .036 .050
set "heavy" (pesadas): .012 .016 .020 .032 .042 .054 


É bom saber antes que, quando compra uma guitarra nova na loja, é quase certo que ela vem com um jogo de cordas .009 e se você quiser trocá-las por um jogo de outro calibre muito provavelmente o tensor da guitarra terá que sofrer um ajuste, possivelmente será necessário o envio da guitarra para um Luthier fazer essa troca e esse serviço tem um custo, é claro.

Entendido ? Agora que já sabemos o que significam os números, vamos entender as vantagens e desvantagens associadas às cordas leves e pesadas.

Um resumo sobre as vantagens e desvantagens trazidas pelo calibre das cordas:
  • Quanto mais grossa é a corda, maior o volume de som e maior o sustain (tempo que a corda soa).
  • Quanto mais grossa é a corda, mais difícil é fazer "bends", segurar acordes, pestana, vibrato e outras técnicas.
  • Quanto mais fina é a corda, mais fácil ela se quebra.
Muito bem, vamos analisar isso na prática. Os iniciantes não possuem ainda a força e os calos dos dedos formados, coisa que vem com o tempo. Então, um jogo .009 é bastante adequado para os iniciantes, pois vai proporcionar um bom equilíbrio entre a sonoridade e a facilidade de execução. Já  um jogo .008 talvez fosse mais adequado para quem tiver mãos pequenas ou então quiser se dedicar a um estilo muito veloz de palhetada, tipo Malmsteen, mas não é uma opinião unânime. 

Já um jogo .010 para iniciantes eu só recomendaria para iniciantes se fosse em guitarras que possuem escala padrão 24.75 polegadas, como as Les Pauls, pois nesse caso o tamanho menor da escala faz com que as cordas trabalhem com uma tensão um pouco menor, não recomendo para inciantes que tenham Stratocasters e outras que possuem escala de 25.5 polegadas. Porém, para quem toca guitarra há mais tempo é uma ótima opção, eu mesmo toco usando Stratocaster com um set .010 !

Acima disso (.011, 0.012, etc) a execução se torna uma verdadeira tortura para o iniciante, sendo praticamente impossível fazer bends normais ou executar acordes com pestana.

Uma coisa que poucos notam é que os grandes mestres da Stratocaster, como Jimi Hendrix, Robin Trower, Stevie Ray Vaughan, Kenny Wayne Shepherd e outros utilizavam cordas mais grossas, porém, afinavam a guitarra meio tom abaixo para diminuir um pouco a tensão das cordas !

Então a conclusão que eu deixo aqui é que você, pelo menos enquanto tiver na fase de aprendizado, evite as cordas grossas pois essas só vão retardar o seu desenvolvimento.

Vamos lembrar o que disse Rusty Cooley, um dos guitarristas mais técnicos que existem a respeito de se usar cordas grossas:

"Tocar guitarra já é difícil, para que você quer deixar isso mais difícil ainda ?!"


Abraços a todos !










9 comentários:

  1. Grande Mad.

    Muito esclarecedor, estava por pedir teu comentário sobre este assunto, ainda bem que nem precisei escrever. ehehe
    Ainda sou iniciante, tenho 7 meses de estudos, mas o meu primeiro jogo era o .008, não gostei. Mudei para o .009 e a coisa começou a fluir mais. Estou totalmente adaptado ao .009.

    Abraços e no aguardo...

    ResponderExcluir
  2. Mad,

    Já li algo no blog do Paulo May sobre "misturar" calibres de cordas em teles. Usar 010 nas mais finas e 009 nas mais grossas. O que me diz? Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, são os chamados sets "híbridos", existem fornecedores que já vendem assim mas nada impede que vc escolha os calibres e monte o seu, só não sei se vale a pena !

      Excluir
    2. Eu acho que encordoamentos híbridos valem a pena para casos como o meu, que tenho uma Ibanez RG470 e estou acostumado com o calibre 009 (para afinação em E) mas estou sentindo falta de um pouco de peso para power chords.

      Excluir
  3. Primeiramente parabéns pelo post. Ficou excelente. Segundo: essa questão de calibre de cordas realmente se tornou um mito, na verdade parece um tabu em fóruns de guitarra na internet. Eu toco há 14 anos e começei com 0.11, o que na época não foi tão difícil pois meu aprendizado inicial foi em um violão Giannini e em seguida em um violão Di Giorgio de cordas de Nylon, no qual eu já treinava bends.

    Hoje prefiro 009 na minha strato. Facilita muito os bends e outras técnicas como o tremolo. Um ponto interessante do seu texto foi quanto a guitarristas de mãos pequenas, o que é exatamente o meu caso. Talvez por isto a minha preferência em usar 009 em strato. Já na Les Paul gosto de usar 0.10 sem problemas. Vou recomendar seu post no meu blog. Abraço.

    ResponderExcluir
  4. Outro detalhe sobre calibres de encordoamentos, por mais estranho que pareça, um calibre mais grosso dependendo do tom da afinação da guitarra acaba equivalendo ao calibre 009 em E (exemplos: 010 em D, 011 em C e 012 em Bb).

    ResponderExcluir